Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A desmedida busca de referências

por Bad Girl, em 20.10.12
Primeiro foi a Adriana Xavier que abraçou um polícia. O país delirou com o gesto da rapariga, alegadamente de intenções puras, que se limitou a sentir a tristeza nos olhos do polícia e o abraçou. Por casualidade, Ah, Ah, Ah, fê-lo em jeito de pose. E o país viu metáforas, agarrou-se à simbologia do acto. A Bela que abraçou o Monstro, sendo a Bela a jovem sem futuro num país em crise e o Monstro uma das engrenagens na máquina do poder. Nos entretantos, buscavam incessantemente Diana, comprando uma história da Cinderela que tinha tanto de mal contada como de infantil. Sentiram-se enganados pela Cacharel, que articulou assumidamente esta campanha, mas ilibaram a Adriana, que teve direito aos seus 15 minutos de fama, coisa tão compreensível aos olhos de um povo que passa os dias a adular protoganistas de reality shows. E foi assim que continuamos, sem rumo e sem heróis, que cuspimos com a mesma rapidez com que devoramos, até Maria Archer mostrar as mamas numa manifestação. Se me perguntarem a mim, que só soube disto ontem (quando estou fora não vejo nada que diga respeito a notícias de Portugal, é uma forma de manter a sanidade), não leio nada neste gesto. No calor do momento, ela tirou a camisola e ficou com as mamas à mostra. Num gesto tão inocente e tão espontâneo como o da Adriana. Ou o do Ricardo, que procurava a Diana. As interpretações fazem-nas as pessoas, ávidas de referências, de símbolos, de heróis. Nem que estes heróis sejam pessoas que sabem, ainda que subconscientemente, que a fila de frente de uma manifestação é a possibilidade de uma vida para brilharem num país que vive na bruma. Somos gente que espera o milagre que sabemos que não vai acontecer. Já o fazemos desde os tempos de D. Sebastião. Alimentar o sonho de um milagre permite-nos adiar as atitudes. Já vi purgas piores.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Bad face

Bad Girls go Everywhere - Blog

Promote your Page too

Importa lembrar, sempre


www.freetibet.org


(nem sempre consigo creditá-las. Serão retiradas se alguém se sentir lesado)

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

(de borla, pelo menos...)

From Geek in Pink




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.