Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




...

por Bad Girl, em 27.04.16

Se um alegado filho da puta me matasse um cão, um AMIGO, era certo e sabido que assassino seria a coisa mais simpática que eu lhe chamaria. Se esse alegado filho da puta, que alegadamente tinha assassinado um cão meu, me vivesse à porta, eu havia de gritar "assassino" sempre que me cruzasse com ele. Havia de ficar rouca, seca de lágrimas e sem sacos de merda para lhe atirar para dentro de casa. Havia de lhe fazer a vida negra, mas de um breu que ele, o alegado assassino, havia de enlouquecer de raiva. Ou então não. Não sou violenta, por isso talvez decidisse chamar a polícia e, apresentada a queixa, partilhar no Facebook a história do alegado assassinato do meu cão, às mãos de um alegado filho da puta. Tomara eu que nunca tal aconteça. Mas, por estranho que pareça, são coisas que acontecem. Existem, no mundo, pessoas que (alegadamente) espetam balázios nas costas de um cão, ameaçam os donos do cão ASSASSINADO e, pasmem-se todos, se ofendem quando esse dono, furtado de um amigo, lhes chama assassino. Eu sei. A filhadaputice não tem limites. Nem aquela que é só alegada. Ora bem, acontecido que estivesse isto, eu havia de confiar na Justiça. Levava o caso a Tribunal e mais não faria do que deixar o caso nas mãos de um senhor que, alegadamente, é justo, sensato e imparcial. Ele havia de pôr a bom uso o dinheiro dos meus impostos, que lhe pagam o salário. Estranharia porém se, no dia em que a Justiça havia de ser feita, eu, a pessoa que ficou sem um amigo, fosse condenada a pagar uma indemnização ao alegado assassino, cabrão na certa, por injúrias. Mais, pasmada. Mas pasmada daqui até ao céu ficaria também eu se, depois de ter perdido um amigo às mãos de um alegado assassino, ainda tivesse de levar um sermão do gajo que eu achava que era justo e correcto, sobre ter humanizado um cão. Parvo, não é? Obviamente nunca poderia acontecer. Eu não vivo num país em que alegados imbecis representam a Justiça. E, no país em que eu vivo, chamar assassino a um tipo que matou um cão não é injúria, é constatação. No país onde eu vivo, um cão não é uma coisa e um juiz nunca se achará no direito de alvitrar sobre a vida pessoal de cada um, sobretudo decretando que há cães demasiado bem tratados. No país onde eu vivo isto não é uma notícia, é um livro de ficção. Infelizmente vocês não podem vir viver para este país. Ele só existe na minha cabeça. O país onde vocês vivem é pútrido, mesquinho e saloio. O país onde vocês vivem dá palmadinhas nas costas a quem mata cães à cobardia. O país onde vocês vivem ainda tem muito para andar. A estrada é curta. Está toda sinalizada e é bem iluminada. Infelizmente, esse país patético onde vocês vivem teima em andar para trás.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Bad face

Bad Girls go Everywhere - Blog

Promote your Page too

Importa lembrar, sempre


www.freetibet.org


(nem sempre consigo creditá-las. Serão retiradas se alguém se sentir lesado)

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

(de borla, pelo menos...)

From Geek in Pink




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.