Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O amor, lamento, não é fodido

por Bad Girl, em 13.01.15

A pedido da Marisa, escrevi (na qualidade de madrinha) sobre o amor, para a página do Mercado dos Santos. Gostem da página (ainda que não gostem do texto) e não deixem de ir ao próximo Mercado dos Santos. Talvez eu me atreva a fazer um desenho para postar na página. E aí sim, vocês vão ver que o amor pode ter muitas formas. Algumas ininteligíveis, claro.

Durante anos, tomada por crises adolescentes, achei que o amor era fodido. Que só seria amor se doesse (muito) cá dentro. Se fosse tanto e tão vil que só se podia manifestar em lágrimas, que teriam de rolar incessantemente umas atrás das outras. Ou que nos inspirava tanto que as palavras, deprimidas e ansiosas, se atropelavam nas frases. Que nos entupia a garganta. Que nos colocava ao pé do suicídio intelectual, todos nós só coração, todos nós somente dor. Todos nós sozinhos, isolados do resto do mundo pela nossa dor, que não faz ideia do que nós, pioneiros do amor, sentimos. Essa ideia de amor, que eu tive há muito tempo, definhou sozinha, de tão doente e fraca que era. O amor que eu conheço não é assim. O amor é brando, sereno. O amor abraça-nos, alvoroça-nos, sim, a barriga, mas apazigua-nos a alma. O amor torna-nos melhores, mais cuidados, mais atentos. O amor não são as palavras que, quando achamos que o amor é aquele turbilhão de tristezas, saem num vómito. O amor vem de dentro. Não vem dos outros. Os outros 'apenas' ampliam o amor que há em nós. O amor cresce dentro de nós e alimenta-se do amor dos outros. Não canibaliza, não explora, respira suavemente e cresce sozinho. Se tomarmos consciência de que o merecemos. De dentro para fora. O amor não é 1+1=2. O amor é a fórmula mais complexa que há. E a mais simples de todas. Elevada ao cubo.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Bad face

Bad Girls go Everywhere - Blog

Promote your Page too

Importa lembrar, sempre


www.freetibet.org


(nem sempre consigo creditá-las. Serão retiradas se alguém se sentir lesado)

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

(de borla, pelo menos...)

From Geek in Pink




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.