Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Por aqui vamos assim...

por Bad Girl, em 18.11.14

Não raras vezes e pelas razões mais descabidas do mundo (trabalhar ao fim‑de‑semana, atender chamadas fora de horas, passar uns dias fora de casa), no último mês e pico tenho andado a dizer a MQT "tu é que me obrigaste a aceitar este emprego!". Ele, obviamente, já não me liga nenhuma nestas coisas. Não é uma inverdade, mas ele 'obrigou-me' porque eu precisava muito daquele empurrão. Por uma razão que me ultrapassa (vai-se a ver e é PDI), desenvolvi nos últimos anos uma enorme resistência à mudança. Tanto que, quando me convidaram para fazer parte de um outro projecto, subida hierárquica, mais dinheiro, melhores condições, eu... hesitei. Hesitei mas de um hesitar tão irracional que, quando liguei para o meu actual chefe a informar que aceitava a proposta, suava em bica. Eu não transpiro. No Brasil, no Verão, na sauna. Não transpiro. Quase nunca. Ainda bem que ele me 'obrigou'. Ele, bicho carpinteiro sempre ávido de novos projectos, não conseguia perceber o porquê da hesitação. Não entendia qual era a dúvida. A dúvida, explico-lhe eu, era um enorme buraco negro, cheio de incertezas. A dúvida era o desconhecido. Hoje, um mês e pico depois, agradeço que ele me tenha 'obrigado' a aceitar um desafio que eu, lá num fundinho do meu ser, achei não ser capaz de vencer. E, não fosse ele, talvez eu tivesse transpirado menos, ao dizer 'não'. Hoje quase não me lembro do que deixei para trás há tão pouco tempo. Sou assim, hesito em mudar e depois nem chego a sentir falta. Às vezes tenho saudades de pequenas coisas. Afinal, o meu emprego anterior não me fazia infeliz. Gostava da equipa, de quem me custou separar. Gostava do trabalho, que executei bem. Gostava dos colegas. O salário não era mau. Não pagava o meu trabalho, isso nunca paga, mas não era mau. Contudo, quem se pôs a jeito para receber convites fui eu. Subconscientemente? Inconscientemente? Não sei. Sei que li algures que 85% das pessoas não deixam as empresas, deixam os chefes. E isso há-de ser verdade.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Bad face

Bad Girls go Everywhere - Blog

Promote your Page too

Importa lembrar, sempre


www.freetibet.org


(nem sempre consigo creditá-las. Serão retiradas se alguém se sentir lesado)

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

(de borla, pelo menos...)

From Geek in Pink




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.