Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bad girl goes fairy tailored...

por Bad Girl, em 04.12.07
Para além de fazerem coisas completamente originais, os Storytailors têm um site absolutamente delicioso ... espreitem . Este vai com honras de estado directamente para o link dos "desejos".

Uma questão de pele

por Bad Girl, em 04.12.07
Há pouco falava (quer dizer, trocava alguma correspondência escrita em tempo real - o chamado chat) com este senhor sobre algumas questões que acabaram por me levar à pele. Devo dizer que, para mim, a "pele" é um assunto complicado, profundo, quase sagrado. Não é só o maior órgão do corpo humano. Não é só onde se concentra a sensibilidade, o cheiro, as marcas... É muito mais do que isso. Tenho tendência para explicar algumas coisas (gostar ou não gostar de alguém) com a frase "é uma questão de pele". E, para mim, o assunto fica arrumado. Parece, contudo, que a vida é mais complexa que isso, e que é preciso mais justificações para se não gostar de alguém.

Há uns anos atrás fui ao México e nadei com golfinhos. Ao entrarmos para a água, o responsável disse-nos para não tocarmos de imediato nos animais. Deixá-los vir ao pé de nós e, quando eles já se sentissem à vontade, aí sim, podíamos fazer-lhes festas. Quando ELES, instintivamente, confiassem em nós. Tal como aqui, é preciso criar intimidade. Entre um golfinho e uma pessoa. Entre uma criança e uma raposa. Entre duas pessoas. Não suporto que uma pessoa que mal conheço me toque. Aquelas pessoas que agarram, e puxam, e tocam por tudo e por nada... irritam-me.

A boca pode mentir. Posso dizer que não tenho frio, que não tenho calor... mas a pele não engana. É na pele que guardamos as marcas das nossas vidas: cicatrizes, irritações, feridas, fadiga... O meu olhar pode evitar cruzar-se com o olhar de outra pessoa, mas se ela me fizer ruborizar, nada o fará esconder. A pele tem cor, cheiro, brilho. É sensível ao toque. Reflecte que vai cá dentro. Reage ao que vai lá fora. A pele é reactiva. É sincera. A pele agarra todos os sentidos. Por isso volto a dizer que, para mim, nesta vida, quase tudo é uma questão de pele. Entendam ou não.

Não sou supersticioso...

por Bad Girl, em 03.12.07

... mas a mãe dela (será o pai?) dá-me azar!

Hoje não tenho pensado noutra música. E porquê? Porque ontem dei cabo da minha imagem de céptica pseudo-intelectualóide quando, em conversa com o J.B., decidi afastar todo o mal que as palavras dele podiam trazer à minha vida e bati três vezes na madeira. O olhar dele situava-se entre o incrédulo e o estupefacto. De repente, desatou a rir.
- E posso saber porque estás a rir?
- Não sabia que eras supersticiosa. Pensei que isso estava reservado a pessoas como eu.
- Como tu?
- Sim, crentes, simples. Como eu. Nunca pensei ver esse gesto numa pessoa agnóstica e tão segura.
Na altura respondi-lhe com o refrão de cima, mas fiquei a pensar. Não acho que seja menos inteligente ou menos terra a terra por ter os meus pequenos rituais. Coisas que faço já num estado de quase subconsciência. Prender a mesma peça de roupa com molas de cor igual. Bater com os dedos na madeira. Não deixar velas acesas em frente a espelhos... e essas são as que me lembro. Obsessiva compulsiva? Supersticiosa? Maníaca? Como é que uma pessoa que não acredita em nada pode agarrar-se a certos rituais? Uma destas manhãs, aqui há algum tempo, passei por um trevo de quatro folhas, caído no chão. O meu lado cerebral pediu-me para ignorá-lo. Este espaço entre aquilo que eu controlo e o que não sou capaz de controlar pediu-me para o apanhar. Eu ignorei-o. Dois minutos depois, ia caindo nas escadas. E de que foi a culpa, dentro da minha cabeça ainda mal acordada? De não ter apanhado o puto do trevo. Tudo o que não queremos é chatear o universo. Deixá-lo ficar contra nós. É que a coisa não está fácil. E a possibilidade de deixar passar uma nesga de boa sorte, por ínfima que seja, não pode ter lugar. No fundo, agarro-me às superstições porque não tenho a resposta a todos os obstáculos que a vida me põe.
Acredito verdadeiramente que dá resultado? Não. Posso passar sem o fazer? Não. Da mesma maneira que tenho amigos que reencaminham os e-mails em cadeia para as 54 pessoas que lhes garantem felicidade, também eu vou continuar a pendurar a mesma peça de roupa com molas de cor igual. Porque o meu cepticismo precisa de acreditar. Em quê? Que eu consigo controlar o que está fora do meu controle.

Alguém quer ir de férias????

por Bad Girl, em 03.12.07
Ora aqui têm uma bela sugestão. Mas não se esqueçam, há que ir aos pares... E cumprir as regras. Porque as há...

As verdades são para ser ditas!

por Bad Girl, em 03.12.07
E, quanto isto aqui, como prometido, os meus esclarecimentos:
1 - Mentira. Grande. Enorme. Nunca. Criança atípica, é verdade. Os meus pais nunca se preocuparam muito. Acharam que, com o tempo, me passava. Até ao dia em que perceberam que já não valia a pena preocuparem-se, porque já não ia a tempo de mudar.
2 - Verdade, verdadinha. Como é óbvio, pela localização da tatuagem. Por algumas fotos que tenho espalhadas pelo blog. E porque são lindas.
3 - So true. E basta ler o blog. Aqui acho que ninguém falhou.
4 - Verdade. Já ajudei mesmo. E só ajudei porque ele é um querido.
5 - Pois, mais uma certinha. A mais falhada. Já apareceu sim senhores, e eu só sei disso porque as mães das minhas amigas têm muito tempo livre...
6 - A última verdade. Foi aos 20, e foi muito a tempo.
7 - Falso. Enganei pouca gente com esta. Aliás, nunca vi o filme até ao fim. Tento todos os natais, mas adormeço sempre.
8 - Falso. Livra! Nunca. Mas nunca mesmo.
9 - Não é verdade. Foi um bocadinho mais. Mas, o que é que querem? Eu era nova, não pensava...
10 - Não. Ao contrário. Fico totalmente apática, sem reacção. E ainda bem. Porque tenho mais tempo para maturar uma vingança.

A Norte, nada de novo

por Bad Girl, em 03.12.07
Antes de mais, um muito obrigada a todos os que torceram por mim, sem saber porquê ou para quê. A causa, apesar de profundamente egocêntrica, era nobre. Para mim, mas nobre.

Pois ainda não há novidades sobre o que poderá ter sido decidido no fim-de-semana que terminou. Contudo, e pela vossa "solidariedade", vou apenas abrir um pouco o livro (irónica, a aplicação desta expressão aqui). E adiantar-vos que tudo se prende com isto.

Mais novidades, em tempo real, assim que elas acontecerem. Para o bem, ou para o mal...

Pág. 4/4



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D