Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Não, pessoa, tu não tens mau feitio.

por Bad Girl, em 03.02.16

Acordar de manhã de trombas, zangada com a vida não é mau feitio. É, no mínimo, mau acordar.

Sair de casa aos berros com os filhos, ou os cães, porque estás atrasada não é mau feitio. É, no mínimo, mau planeamento.

Buzinar ao carro da frente, ao do lado, cortar rotundas, forçar passagem também não é mau feitio. É, quando muito, má condução.

Odiar o trabalho, as pessoas do trabalho, o ambiente do trabalho, o telefone que toca no trabalho, o patrão, o chefe e até a empregada de limpeza. Todos os dias. Não me soa a mau feitio. É, na melhor das hipóteses, falta de alternativa.

Não dizer “bom dia!”. Por iniciativa própria ou reactivamente. Nem “por favor”. Nem “obrigada”. Má educação. Clara.

Odiar a sogra. O cunhado. O primo do marido. A mulher do melhor amigo. A vizinha de cima. A de baixo e a do lado. Pode até ser falta de sorte, mas não é mau feitio.

Hoje em dia as pessoas escudam-se no seu alegado mau feitio. Aparentemente é tido como uma coisa boa, há estudos que dizem que se vive mais tempo, que se é mais bonito, que se é mais inteligente. Basta, para isso, ser-se o feliz proprietário de um mau feitio. E então as pessoas acham que a vida é como é, que fazem aquilo tudo lá de cima e mais, porque, dizem, têm mau feitio. E têm orgulho em tê-lo, afinal há estudos. Pois, mas acordar de trombas e levar o dia e as semanas, os meses e os anos assim, de trombas com a vida, não é mau feitio. É, na melhor das hipóteses, mau amor. Na pior, é ser-se uma besta. E não há estudo científico que ponha isso bonito.

   

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Ao contrário da maior parte das pessoas, não vou pôr-me com falsas modéstias: sou gira, sou inteligente, sou interessante. Mas também sou Má... como todas as mulheres, não é? Como perceberão com as leituras, e como este é um reflexo de mim, naturalmente tenho um blog bipolar!

 

Algo a dizer? BAD MAIL

badgirlsgoeverywhere (arroba) gmail.com

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D